Acessibilidade

Governo Entrega Sistema de Esgotamento Sanitário do Prosamim III, Nova Avenida interligando as Zonas Sul e Oeste e outras Obras de Urbanização

 

O Governador Wilson Lima inaugura nessa quinta-feira (04.06), mais um complexo de obras executadas pelo Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), no bairro de Presidente Vargas, localizado na zona sul de Manaus.

A intervenções fazem parte da terceira fase do Prosamim e os investimentos na área giram em torno de 137,8 milhões de reais e contemplam obras de mobilidade urbana, saneamento básico, a construção de um parque dotado de novas áreas de lazer e prática esportiva para os moradores das zonas sul e oeste da capital. Os recursos investidos nas obras são oriundos de financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Governo do Estado.

A terceira fase do Prosamim já reassentou mais de 5.000 famílias na Bacia do São Raimundo.

Nas intervenções da Ligação Viária Luiz Antony, Parque Castelhana e Walter Rayol, foram retirados 472 imóveis situados em áreas de risco, em sua maioria moradias precárias, sem condições mínimas de saneamento básico, nos quais as famílias viviam em meio ao acúmulo de lixo e sob constante risco de alagações devido a subida dos rios e o volume de chuva.

A retirada e a indenização dos moradores realizada pelo Programa proporcionou a estas famílias a possibilidade de adquirir nova moradia, com condições dignas e em locais com infraestrutura adequada.

Por sua vez, as famílias que permanecem residindo na área foram diretamente beneficiadas com a implantação da nova rede de coleta de esgoto. O programa realizou 3.199 pontos de ligação domiciliar de esgoto, com aceitação de 96% da população. As ações de sensibilização sobre a obra e a importância do saneamento básico realizadas pelo Programa alcançaram diretamente 5.000 pessoas.

Ligação Viária Luiz Antony (LLA)

Os moradores dos bairros da Glória, São Raimundo, Santo Antônio e Compensa ganharam uma nova opção para chegarem até a área central de Manaus.

O Governo do Amazonas, por meio da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), entrega hoje à população manauara a Ligação Viária Luiz Antony (LLA), obra de mobilidade urbana que conecta os bairros da zona oeste à área central da capital através da rua Luiz Antony, no bairro de Aparecida, zona sul, agora interligada diretamente à Av. Kako Caminha, na zona oeste.

A obra será uma nova alternativa para o trânsito de veículos que saem dos bairros da Glória, São Raimundo, Santo Antônio e Compensa, com destino ao centro da capital.

A pista, de mão dupla, com 1,1km de extensão, é dotada de ciclovias em toda a sua extensão, calçadas, orla para caminhada com guarda-corpo, paisagismo, arborização, iluminação em LED, quadra de esportes, praças e espaços para lazer e práticas esportivas.

Dentre estes espaços, destaca-se o Parque da Castelhana, localizado no início do prolongamento rua Luiz Antony e com entrada pela avenida Constantino Nery, ao lado do terminal de ônibus (T1). O novo parque coloca à disposição da população uma ampla área de 3 mil metros quadrados para a prática de esportes e convívio social.

O nome do Parque está relacionado às intervenções do PROSAMIM no local, que revitalizaram uma a parte do leito do igarapé da Castelhana, anteriormente repleto de ocupações irregulares (palafitas), lixo acumulado, mau cheiro e poluição. A área, antes degradada, foi completamente revitalizada, dotada de toda infraestrutura necessária e equipada com quadra, área para caminhada, bancos, arborização e iluminação em LED, se tornando uma nova opção de lazer ao ar livre para os moradores da zona sul, oeste e bairros adjacentes.

As obras da LLA e do Parque da Castelhana tiveram um investimento total de R$ 106,1 milhões, sendo R$ 80,8 milhões investidos nas obras de infraestrutura, drenagem, microdrenagem e nas áreas de lazer e R$25,3 milhões investidos no reassentamento de famílias que viviam em 472 imóveis no leito da bacia do São Raimundo e sobre o igarapé da Castelhana.

Iniciadas em 2017 com a retirada das famílias residentes em áreas de risco, as obras tiveram seus trabalhos paralisados por aproximadamente dois anos devido a um processo judicial para desapropriação de um terreno de galpões comerciais, parte situado no trecho por onde passa a Avenida. A ordem judicial permitindo a continuidade das obras foi proferida no início do segundo semestre de 2019, seguida da retomada imediata dos trabalhos.

Intervenção Walter Rayol (Bariri)

A intervenção do Prosamim na região da Rua Walter Rayol, popularmente conhecida como Bariri, teve um investimento de R$ R$9,8 milhões, divididos em R$3,5 milhões investidos nas obras de revitalização, e R$ 6,3 milhões investidos no reassentamento das famílias em situação de vulnerabilidade, retiradas de uma área historicamente alagadiça e insalubre.

Permanecem marcadas na memória dos moradores mais antigos da “Matinha” as cenas de um trágico incêndio registrado na manhã do 18/04/2012. Iniciado no Beco Bragança, o fogo rapidamente se alastrou pelas casas de madeira até o quarto Beco Boa Sorte, de lá seguindo para as casas localizadas no então Beco Walter Rayol, consumindo em apenas trinta minutos aproximadamente 80 moradias. À época, as ruas estreitas e a geografia do lugar, com vários becos estreitos e vias sem drenagem adequada alagadas pela cheia, dificultaram o acesso do Corpo de Bombeiros em menor tempo.

A realidade que se inicia hoje é completamente diversa. Os antigos becos da Matinha, antes isolados e de difícil acesso, o que favorecia o domínio do território pelo tráfico de drogas, já não fazem mais jus ao nome de “beco”, posto que as ruas sem saída foram transformadas em vias acessíveis pela nova Ligação Viária.

As obras na Walter Rayol contemplaram a readequação das vias locais, incluindo pavimentação, instalação de calçadas, sarjeta, plantio de mudas para a recomposição da flora e paisagismo, novos espaços de convívio social e práticas de esporte, como praças, pista para caminhada e áreas de convívio para a população do entorno.

O Programa retirou cerca de 150 famílias que residiam em 94 imóveis no leito da bacia do São Raimundo e conviviam com as constantes enchentes, devido a subida das águas do Igarapé.
As obras contemplaram também a reforma das fachadas das residências vizinhas à intervenção na Walter Rayol.

Na área ambiental, o projeto de reflorestamento realizado pelo programa buscou criar condições para que uma área degradada recuperasse sua característica original, criando uma nova floresta com características estruturais e funcionais próximas às das matas ciliares da região amazônica. O projeto buscou envolver os diferentes grupos ecológicos regionais, para que tivessem condições adequadas para seu desenvolvimento.

No reflorestamento foram utilizadas mudas de espécies nativas e exóticas, totalizando 484 unidades, divididas entre diversas espécies da região.

O trabalho realizado pelo Ambiental já demonstra resultados promissores em virtude do retorno da fauna ao local revitalizado, hoje já se observa garças, tartarugas entre outras espécies retornando ao seu habitat natural que antes se encontrava ocupado por moradias precárias e lixo.

Estação Elevatória de Efluentes e redes de coleta de esgoto.

As obras de saneamento da bacia do São Raimundo executadas pelo Prosamim tiveram um investimento de R$22,3 milhões e contemplaram a construção de redes de esgoto e seis estações elevatórias, distribuídas em bairros das zonas sul e oeste.

O Programa construiu 24 quilômetros de redes de coleta de esgoto distribuídas nos bairros do Centro, Aparecida, São Raimundo, Santo Antônio, Glória e Presidente Vargas, que farão a coleta dos resíduos diretamente das residências de mais de 130 mil pessoas.

Estas redes estão interligadas às seis estações elevatórias de efluentes, que serão as responsáveis por armazenar e bombear esses resíduos até uma estação de tratamento de Esgoto – ETE que está sendo construída também pelo PROSAMIM, no bairro do Educandos, zona sul de Manaus.

As estações elevatórias são compostas por tanques subterrâneos que irão armazenar parte do esgoto provenientes das residências e modernas bombas de efluentes que serão responsáveis pelo envio do esgoto até a ETE Educandos.

 

O Coordenador-executivo da UGPE, o engenheiro civil, Marcellus Campêlo afirma que a implantação do Sistema de Esgoto Sanitário, composto pelos 24km de rede coletora, as seis estações elevatórias e a ETE que está em construção, quando observadas em conjunto, resgatam a essência do PROSAMIM como Programa de saneamento, fechando um ciclo que se inicia a partir da recuperação urbanística do entorno do Igarapé e retirada das palafitas, que descartavam o esgoto e lixo diretamente no corpo hídrico; seguida das ligações intradomiciliares, possibilitada pela rede coletora construída, permitindo que todo o efluente gerado pelos moradores do bairro Presidente Vargas e entorno, anteriormente também depositados no igarapé, passem a ter enfim destinação e tratamento correto e adequado, através das Estações Elevatórias e ETE.

“Em sua terceira etapa, o PROSAMIM reafirma mais uma vez sua vocação inerente para transformar a paisagem urbana, o que, aliado ao impacto social e ambiental de suas ações, transforma, acima de tudo, a vida de seus beneficiários diretos e indiretos”, afirmou Marcellus Campêlo.

Muito além da infraestrutura, consolida-se na data de hoje mais um capítulo da construção de um conceito de sucesso, que se prepara para, em breve, iniciar uma nova etapa a ser escrita além das fronteiras da Capital do Estado.