Acessibilidade

Obras do Prosamim tem previsão de gerar 1200 empregos no semestre

UGPE estima a geração de novos postos de trabalho nas obras do Prosamim, neste segundo semestre

 

Com a retomada das obras da terceira fase do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), a Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) estima a geração de novos postos de trabalho pelo programa, podendo alcançar 1200 empregos diretos e indiretos, neste segundo semestre.

Atualmente, as obras do programa estão gerando cerca de 130 empregos diretos e com o retorno gradual das atividades, estima-se a contratação de mais 170 operários, mantendo esses postos de trabalho até o término das intervenções, previstas para o final do primeiro semestre de 2021. Com isso, devem ser alcançados 1200 empregos diretos e indiretos gerados.

Os empregos que estão sendo gerados são para atuação nas últimas obras previstas no Prosamim III, que estão sendo feitas nas zonas sul e oeste da capital e englobam intervenções nos leitos dos igarapés do Mestre Chico e 40. Também abrangem as obras de um sistema de esgotamento sanitário, que contempla a construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), já em andamento.

O subcoordenador de engenharia da UGPE, João Benaion, afirma que todas as obras do programa permaneceram em execução durante os decretos de restrição de atividades. “Em virtude dos decretos visando ao combate e à disseminação da Covid-19, a quantidade de operários que estavam atuando nas obras foi reduzida e mantidas somente equipes mínimas para as atividades essenciais e que não poderiam ser paralisadas. E agora, estamos retomando as equipes com 100% do pessoal necessário”, afirmou João Benaion.

Intervenções nos Igarapés do 40 e do Mestre Chico – A intervenção do igarapé do 40 compreende um trecho localizado entre as avenidas Silves e Maués, nos bairros do Japiim e Cachoeirinha. Emprega atualmente 15 operários, os quais auxiliam nas mudanças dos beneficiários e na demolição dos imóveis desocupados.

Após o nível das águas baixarem e as obras retomarem, a previsão é que se contratem mais 130 operários no mês de agosto, para atuarem nas obras do igarapé do 40. Serão contratados operadores de máquinas, pedreiros, serventes, técnicos e engenheiros.

A intervenção no igarapé Mestre Chico compreenderá a construção, em uma parte do leito do igarapé, um parque urbano para os moradores dos bairros Praça 14, Cachoeirinha e Centro. O parque contará com uma área de 15.742,46m², dotada de macro e microdrenagem, redes de coleta de esgoto, praças, áreas de lazer, paisagismo, recomposição da flora com plantio de mudas, playground infantil equipado com balanços, escorregadores e quadras multiuso para a prática esportiva.

Atualmente, a obra gera 30 empregos diretos. Com o início da segunda etapa da intervenção, a estimativa é que sejam contratados mais 40 operários, totalizando 70 empregos diretos no local.

O operador de máquinas, Afonso de Oliveira, 60, afirma que foi contratado no início do mês de junho e foi informado que seu trabalho estava garantido pelos próximos oito meses. “É mais seguro saber que terei trabalho, nos próximos meses, porque os bicos podem acabar a qualquer hora e é mais difícil de nos planejarmos financeiramente. Eu já trabalhei em outras obras do Prosamim, passei mais de 10 anos atuando na mesma empresa. E hoje estou atuando aqui nessa área, onde será construído um parque que vai melhorar a vida da comunidade”, afirmou o operador de máquinas.

Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) – A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), que está sendo construída no bairro de Educandos, é a última obra de um Sistema de Esgotamento Sanitário implantado pelo Prosamim na bacia do São Raimundo.

Atualmente, a obra da Estação de Tratamento de Esgoto conta com 102 operários. Há previsão de manutenção desses empregos até pelo menos o final do segundo semestre do ano que vem.   O carpinteiro, Francisco Andrade, 38, estava desempregado há cinco anos e vinha conseguindo o sustento da sua família através de pequenos serviços.

“Graças a Deus apareceu essa obra da ETE, que garantiu um emprego pra mim e para os meus amigos que estão aqui satisfeitos. Eu me sinto feliz por estar aqui empregado porque é muito ruim está parado. Fiquei cinco anos desempregado, então, seis meses ou um ano empregado já ajuda bastante e muita gente ainda não tem emprego, não consegue uma oportunidade como essa”, afirmou o carpinteiro.

O coordenador Executivo da UGPE, engenheiro civil, Marcellus Campêlo, afirma que as obras do Governo do Estado executadas através do Prosamim, historicamente, já transformam a vida das pessoas para melhor, retirando famílias de áreas insalubres e alagadiças e realizando o reassentamento das mesmas em lugares mais dignos. E agora, devido à pandemia e à recessão econômica, essas contratações são extremamente positivas para a geração de renda, emprego e arrecadação em nosso estado. “É o Governo do Estado atuando diretamente na recuperação econômica da nossa população”, frisa.